Arquivo da categoria: Política

Uma conversa com o jeitinho brasileiro: a corrupção de cada dia

MaquinArte- Bom dia, o jeitinho está presente nas leis?
Jeitinho Brasileiro (rindo)- Não, não.
MA- E você acha que é certo o que é feito em teu nome?
JBr (fortes risadas)- Claro que não
MA– Desde quando você surgiu jeitinho? Você é mesmo brasileiro?
JBr- Brasileiro naturalizado. Apareci pela primeira vez com o descaramento português em invadir estas terras brasilis em 1500 e fui ficando com ajuda das três raças que degeneradas me mantiveram por aqui.
MA– E você não tem medo que as pessoas sejam punidas?
JB – Com o nosso judiciário? (risos escarnidos). A classe média alta e elite é quem mais me usa então.
MA- Como começa a vida na corru… digo no jeitinho brasileiro?
JBr A observação é importante e começa desde criança.
MA– E se alguém tiver olhando fica mais difícil?
JBr– No começo sim, mas depois vão incentivando e logo se desinibe geral.
MA– E por que as pessoas usam tanto?
JBr- É fácil, tirando a questão da inexistência da punição tem duas coisas que influem: “eu vi alguém se dar bem e também irei” ou “como todos otários não viram esta brecha? vou me dar bem.”
MA– E você acredita que o jeitinho é corrupção?
JBr– Corrupção? Isto existe no Brasil? NUNCA fui corrupção. Só sou a consciência que a gera, mas não tenho nenhuma ligação com ela, só contatos formais. Inclusive gente corrupta vem me usando. Veja o Aécio Neves junto com esta direita asqueirosa e a mídia limpinha sempre golpista que quer dar um golpe e o pessoal associa a mim. Vão catar coquinho
MA- Você acha que você vai acabar aqui no Brasil?
JBr- Hoje minha ação as vezes é difícil. Já tem medidas de transparência, de punição (só se for do partido PT, é claro), de investigação da Polícia Federal e MPF, e o jeitinho as vezes trava. Sorte minha que tem o judiciário parcial que dá um jeitinho sempre. Até pra arrumar um auxílio moradia pra lá de imoral. Se tivesse um prêmio JB daria pra eles. Junta isto com uma a concessão da mídia radialista e televisiva (com raríssimas excessões) que não tem compromisso nenhum com a verdade e que além de mentir (viu o caso do Romário?), manipula e distorce. E tem mais com este discurso de ódio de hoje em dia da falsamoralista  despolitizada classe média ignorante que espalha boatos no Uatizapi e feicibuque vou continuar existindo durante muito tempo.

Dia de luta para professores, técnicos federais e vigilantes

20150828_081910A sexta-feira (31) representou na cidade de Manaus um marco da  constante luta dos movimentos para ter sua força de trabalho respeitada e valorizada contra os abusos impostos pelo mercado de trabalho globalizado. Assim os trabalhadores mais do que mostrar suas exigências vão as ruas organizados para lutar por aquilo que é insustentável

A classe dos vigilantes do estado do Amazonas se posicionaram em frente a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do MTE para exigir da Justiça trabalhista que altere a Classificação Brasileira de Ocupações, que trata vigilante e agente de portaria de forma semelhante, o que causa danos a categoria pois os vigilantes estão perdendo empregos para os agentes que recebem menores salários fazendo a mesma função sem portar arma para sua defesa.

20150828_08193320150828_081942Outro ponto que a classe questiona é o fato do governador do Amazonas, José Mello vir substituindo vigilantes por agentes de portaria para fazer a vigilância dos prédios públicos, como escolas, hospitais, secretarias etc.

Não bastasse as perdas, a maioria dos vigilantes são trabalhadores ainda são trabalhadores tercerizados sendo explorados com jornadas de 12 por 36, trabalhando em diversos locais na mesma semana e ainda por cima não tendo seus direitos trabalhistas assegurados. Realidade dura de praticamente todo trabalhador terceirizado, mas que está sendo questionada pela classe.

20150828_090129Outras categorias de trabalhadores que se manifestaram em um ato unificado foram os técnicos federais de educação da UFAM (através do sindicato SINTESAM), professores da UFAM (junto a ADUA) e os servidores federais de educação técnica e científica (SINASEFE). As três categorias estão em greve há mais de três meses em denúncia aos problemas gerenciais e aos cortes da educação federal.

No caso dos professores e servidores da Ufam o ato em frente ao Ministério Público foi para entregar um documento denunciando a reitora da instituição, Marcia Perales, por uma série de abusos administrativos, dentre eles a delação de técnicos em greve a justiça; criação de um caos dentro da universidade ao instaurar dois calendários prejudicando o andamento administrativo da universidade;  não defesa da autonomia universitária; descumprimento do regimento da instituição e dos conselhos.

20150828_090245 20150828_09012920150828_083532 20150828_083042

20150828_082526

Percebe-se que o movimento grevista tanto na UFAM quanto no IFAM vem sofrendo pelos problemas das verbas bilionárias que foram cortadas das instituições o que ocasiona perda de bolsas estudantis, projetos já estabelecidos, diárias, pesquisas entre vários outros fatores. Soma-se isto ao processo de terceirização que desde o fim da década de 90 assola as universidades brasileiras.

Os questionamentos dos professores é a visível má administração da instituição que há décadas passa por sérias questões e que se intensificou na gestão Perales como corrupção (no caso da UNISOL por exemplo), devolução de verbas já liberadas pelo governo federal , novas terceirização (caso da agencia de viagens OCA), má distribuição das vagas de professores dentre as unidades entre outras.

A greve das federais que já chegou em seus 3 meses e que conta com quase 50 universidades em greve. A luta promete continuar com os professores

20150828_082532

Foto: Katia Vallina/Adua

Foto: Katia Vallina/ADUA

Foto: Katia Vallina/Adua

Foto: Katia Vallina/ADUA

Sabotagem da mídia

As notícias do Brasil pelo mundo:

1) Relatório da OCDE aponta redução da desigualdade de renda no Brasil. Fonte ou Fonte

2) Banco Mundial: Brasil é exemplo na erradicação da extrema pobreza. Fonte

3) A Petrobras foi uma instituição criminosa na era FHC. Fonte

4) Brasil é exemplo em educação básica, diz Nobel de economia. Fonte

5) FMI afirma que “Bolsa Família diminuiu pobreza, desigualdade e desemprego”. Fonte ou Fonte ONU

6) Petrobras gera 5,3 bilhões de lucro líquido. Fonte

7) Professor e economista da Universidade de Columbia: “Bolsa Família é bom para todo mundo, não é apenas uma caridade, uma benevolência de um governo interessado” Fonte

8) Vice Presidente norte americana Hillary Clinton fala que o comprometimento de Dilma “com abertura e transparência, sua luta contra a corrupção estão estabelecendo um padrão global”. Fonte

8) Empresário do PSDB afirma: Nunca se roubou tão pouco no Brasil. Fonte

CUIDADO!! O MUNDO ESTÁ SABOTANDO A GLOBO, A VEJA, A ÉPOCA, O ESTADÃO E O PIG INTEIRO. ELES SIM SABEM A VERDADE

Instituto Ganga Zumba produz o novo Bloco Afro

DSC03552DSC03591

O Instituto Ganga Zumba, dos engajados Maick, Luis etc, com apoio do DCE UEA, a mídia colaborativa do Coletivo Difusão, a Federação de Umbanda e Cultos Afro Religiosos do Estado do Amazonas (FUCABEAM), UNEGRO, e muitos outros que uniram forças realizou no último domingo a segunda edição do Bloco Afro Ganga Zumba que neste ano trouxe uma muitas novidades.

A festa ocorreu no espaço sempre aberto a comunidade: o Terreiro da Nochê Emília, a querida Mãe Emília,  localizado na Rua Pintassilgo, nº 100 – Cidade Nova II. Além da programação artística esta edição contou com uma deliciosa feijoada preparada pelas filhas de santo de Mãe Emília que deu sustância para as mais de 10 horas ininterruptas de Bloco Afro.

DSC03576DSC03556

DSC03573Sem títuloE como a presença negra é sempre produtiva e política durante o evento foram coletado votos para que seja aprovada a PL 4471 que acaba como o “autos de resistência” criando penas maiores para abuso de policiais militares, pela regulamentação das mídias, reforma política e outro pela soberania da Venezuela.

Outra novidade importante foi o “Circuito Mulheres em Diálogos – Reflexões sobre Política, Mídia e Cultura” que pretendeu trazer um debate sobre as produções femininas (e feministas) dentro da sociedade. O evento foi transmitido ao vivo pela Pós TV Norte e dividido em parte 1 e parte 2 podendo ser visto nos links anteriores.  Dentre os participantes  que podemos ver na foto acima (da direita para a esquerda estão:  Lucia Antony (UBM- União Brasileira de mulheres), Anne Jezini (Cantora e agente do Pirão-AM), Elisa Maia ( Coletivo Difusão), Patricia Sampaio (Profª UFAM), Diana Brasilis (Estudante de Filosofia, militante e mulher Trans), Dirce Quintino (Blog Gordice), Elizangela Almeida (UNEGRO), Cida Ari-poria (Coletivo MARIAM) e Maurília Gomes (Formada em relações públicas e mediadora do debate).

DSC03577 DSC03597DSC03577Vários pontos foram tocados durante o encontro como empoderamento da mulher na política, democratização da mídia, e a imagem da mulher na mídia. Foram ainda tratados os preconceitos contra as mulheres e transexuais presentes no discurso machista, os avanços nas políticas públicas federais voltada as mulheres e a população negra e minoritária, o papel da universidade na formação de uma criticidade entre outros.

A festa contou com muito trabalho educativo, cultural e claro musical. Isto pois o Bloco também veio a multiplicar o movimento cultural da cidade ao se integrar ao Grito Rock 2015, um evento feito por produtores independentes que visa ampliar a cultura para todos os cantos de Manaus (incluindo os bairros periféricos que são propositalmente relegados pelos des-governos dos prefeitos e governadores).

Por isto, desde o início diversas atrações musicais passaram pelo palco deste Bloco mostrando os diversos estilos engendrados pela música brasileira feita na mistura das três raças, mas com forte influência afro.

DSC03562DSC03585

DSC03583Trazendo a todo momento a presença do importante DJ Negro Lamar, o som foi animado pelo pagode do Poder da Criação que apresentou grandes clássicos do samba com a participação do grande Luis do Instituto Ganga Zumba no vocal, que mostrou que além de um ser tocador de tambor que não tem tamanho é um cantor de samba dos melhores.

Os cantos foram se entoando e formando uma série denominada “Cantos Negreiros” que durou toda a tarde e durou toda noite envolvendo uma série de outras atividades que animaram a galera.

DSC03583

DSC03583Entremeando estas atividades musicais, houve a marcante presença do mestre KK Bonates que junto com o Grupo de Capoeira Matumbé que trouxe um pouco da dançaluta da capoeira africana que animou a todos com seus cantos.

Porém mais do que a tradição dos cantos da capoiera, o mestre KK Bonates contou um pouco da história da capoeira passando pela de Besouro, e os grandes mestres Pastinha e Bimba e do próprio grupo Matumbé. O contexto da resistência do negro continua atual, na luta cotidiana pela sobrevivência da sua cultura e contra o processo de exclusão racial presente em uma sociedade racista.

DSC03640DSC03706

DSC03690

DSC03675

Logo formou-se o terreiro do fundo de quintal para preparar para o samba onde Julio Sorriso puxou a festa colocando todo mundo na roda de samba que começou com palma de mão e logo envolveu a todos em um legítimo sambão, samba povo, samba novo, samba chão como canta a belissima Beth  Carvallho.

E no embalo do samba todos foram entrando na roda que foi ficando animada e cheia de partideiros que respondiam como coro a voz principal. E na dança do samba chão a ginga e as saias rodadas coloriam ainda mais a festa.

E quem achava que a animação iria terminar alí mal poderia esperar pelas outras atrações que estavam por vir.DSC03721DSC03755

DSC03678

DSC03778 DSC03766

DSC03727

DSC03781 DSC03790

E aos poucos a roda era completada com alguns balalorixás que eram convidados para também mostrar seu gingado como o Pai Gilmar. Da capoeira pro samba, e do samba direto para a percussão nas aulas do grande Sorriso.

Ao cair da noite o bloco continuou unido em suas crenças e no caloramor que rolou na festa. E logo foi a vez de subir ao palco Antônio Bahia, James Rios e Márcia Siqueira.

Márcia Siqueira

antonio bahia cantorE assim o segundo Bloco Afro do Instituto Ganga Zumba trouxe muita animação, paz e axé para todos que estiveram presentes e ainda por cima diversificou a programação do Grito Rock deste ano.

E por falar em Grito Rock não esqueçam que ainda estão rolando atividades e o Grito termina amanhã a tarde (sábado, 4) com um grande evento próximo ao Arar do Multirão com muito hip-hop, djs e mcs, rappers, grafiteiros de responsa, movimento feminista e muito mais…

Professores do município de Eirunepé acusam prefeito de reter salário nos últimos 4 meses

Segundo dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa Educacional Anísio Teixeira (INEP), o Amazonas é o estado com maior atraso escolar do país nas áreas rurais. O péssimo desempenho do estado quanto à avaliação da educação básica, sempre ocupando, amargamente, as últimas posições na qualidade de ensino, parece não preocupar a ignara classe política da região.

Além de possuir uma das piores educações, diversos problemas administrativos configuram a gestão atual do Estado e dos municípios amazonenses, inclusive Manaus, cujas denúncias envolvendo desvio de merenda escolar nas gestões de Amazonino Mendes e Arthur Neto são, na maioria das vezes, ocultadas pelas mídias sempre a favor daqueles que estão no poder.

No caso dos municípios do interior sabemos que o buraco é mais apertado. Afinal, com políticos (prefeitos e vereadores) que não governam pelo bem comum e pela coisa pública, vemos tais espaços abandonados e sem perspectiva, ainda mais com a desrespeitosa desadministração dos governadores do Estado do Amazonas, principalmente nos últimos 30 anos.

A obviedade executiva cotidiana encontra Eirunepé

Eirunepé, conhecida carinhosamente como “A Veneza Amazônica” (comparativamente pela poluição de seus rios),  não foge dessa realidade. Terra do atual governador José Melo e de Amazonino Mendes, o município vem sofrendo diversos problemas administrativos, os quais afetam todos os setores sociais.

O prefeito Joaquim Neto Cavalcante Monteiro, do Partido Social Democrático – PSD (partido que possui como presidente estadual Omar Aziz), foi condenado no ano passado pelo Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM) pela falta de transparência em sua prestação de contas, o que é comum no estado, pois dados também mostram que o Amazonas não está muito bem quando o assunto é responsabilidade na prestação de contas.

Nosso bloguinho conversou com professores não-efetivos ou temporários da zona rural do município, cujos contratos encerraram no último mês de dezembro, e foi informado que o prefeito não pagou quatro meses de salários dos docentes.

Esta falta de pagamento fez com que o natal dos professores contratados fosse ainda mais amargo. Talvez tão amargo quanto os resultados futebolísticos da seleção brasileira de futebol.

De qualquer maneira os professores afirmaram temor em questionar os poderes constituídos e acionar a mídia para reverter a subtração de seus direitos. Este medo e apatia política da classe é uma realidade conhecida no Amazonas. As oligarquias municipais, por exemplo, oferecem acesso a um sindicato pelego como Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Amazonas – Sinteam, além da mídia reacionária nunca defender os interesses públicos por ser sempre parcial aos políticos.

O prefeito de Eirunepé, assim, deve cumprir sua função e pagar os professores, caso contrário sua acusação não será somente de improbidade administrativa, mas exploração de trabalho publiscravo (público/escravo). Ao continuar produzindo esta forma de governar, os prefeitos e o governador manter-se-ão escravos da sua vaidade, impotência e tristeza, engendrando uma educação de baixa qualidade.

Morre Robson Achiamé, mas as ideias libertárias ficam

É com uma grande tristeza que ficamos sabendo da morte de Robson Achiamé, fundador da Editora Achiamé em 1978. Conhecida por ser uma editora com um posicionamento política quanto aos acontecimentos internacionais como as guerras, o massacre do povo palestino, a editora publicou uma revista sobre cultura libertária com dezenas de números.

Libertário, anarquista, livreiro, humano, Achiamé lançou ainda muitas edições próprias de textos clássicos com o intuito de levar o conhecimento a um preço baixo e acessível a todos. Livros como Foucault e o Anarquismo, de Salvo Vaccaro, Indíviduo na Sociedade, de Emma Goldman e Anarquismo no banco dos réus, de Edgar Rodrigues foram lançados pela editora que enfrentou a ditadura civilmilitar com muita coragem.

Assim mais do que 71 anos que viveu, Achiamé foi mais do que humano, mais do que uma editora, mais do que a esperança: foi a semente que permanece viva em nossos corações

Deixamos abaixo a nota do sítio Livraria Anarquista  Avelino Fóscolo

 Belo Horizonte, 10/11/2014,

É com pesar que recebemos a notícia do falecimento de Robson Achiamé neste domingo 09/11/2014, editor fundador da Editora Achiamé, no Rio de Janeiro. Achiamé morre no mesmo dia em que ocorria a 5ª Feira Anarquista de São Paulo, que contou com a disposição e inúmeras publicações de sua editora. Achiamé contribuiu de forma expressiva para o anarquismo no Brasil, editando e publicando diversos livros desde os anos 70, ainda durante a ditadura militar, na dura missão, com outras e outros companheiras/os de mesma época, de manter vivo o anarquismo no país em tempos de recuo e re-ascensão.

A LAAF lamenta seu falecimento e presta a humilde, sincera e devida homenagem a este grande nome do anarquismo brasileiro, que, por seu trabalho, nos permitiu o acesso a publicações de temas diversos dentro do anarquismo, ao estudo e ao aprofundamento teórico, incluindo títulos que temos à venda.

Achiamé vive!
Viva o Anarquismo!

Livraria Anarquista Avelino Fóscolo

MAM-SP traz a periferia pro centro