Arquivo da categoria: Arte

L’art de Chantal Akerman

O sorriso eterno como imagem de quem ama a vida: Manoel de Oliveira

Manoel de oliveira

O homem que ama a vida ama também as suas produções que permanecem durante a eternidade por outros amantes da arte e da vida feita com livres movimentos. No caso do cinema, um cineasta sempre nos deixa as formas que ele gostaria que assistissimos: os planos e movimentos de câmera que ele escolheu, a iluminação e o mundo como ele preferiu ver e imaginar, as histórias e personagens que ele deseja imortalizar dentro do mundo.

No caso do cinema de Manoel de Oliveira ainda podemos comentar sua escolha em sempre filmar a partir da “lingua de Aviz” a visigolatinamente bela língua portuguesa. E este amante da arte cinematogrática em sua vida passou a se dedicar ao cinema como profissão a partir dos 73 anos. Hoje aos 106 anos, ele abre toda sua lente para que toda luz entre e embranqueça o cinema, deixando outros projetos em sem realização.

Porém sua carreira começou em 1928 com uma breve carreira de ator no filme Fátima milagrosa de 1928. Seu segundo trabalho, em 1931 ocorre quando o jovem Manoel de 33 anos de idade filmou seu primeiro cinema, um curta documental chamado Douro, Faina Fluvial, um registro poiético da cidade do Porto vista pelo rio Douro tendo em seus versos homens, máquinas, a natureza em um tempo imensurável.

Deste continuou a vontade de documentar as terras lusitanas a partir de outras óticas com kinopoesias pulsando de seus próximos filmes como a força da água que gera energia (em Hulha Branca), as Estátuas de Lisboa, as Cheias do Tejo, a produção automobilística,a praia das Rosas em Miramar, a vila de Familicão.

Casamento com Maria Isabel Brandão de Meneses de Almeida Carvalhais em 1940

Único Casamento com Maria Isabel Brandão de Meneses de Almeida Carvalhais em 1940

Seu primeiro longa metragem de 1942 é Aniki-bóbó que retrata a condição social de crianças pobres e aventureiras que enfrentam a dureza do mundo adulto em bairros populares do Porto. Nesta vivência os garotos Eduardo e Carlinhos se apaixonam e brigam pelo amor de uma mesma menina, Teresinha.

Após seu primeiro longa houve uma pausa de 14 anos para que saisse seu trabalho O pintor e a cidade (1956) e se considerarmos seu segundo longa, Acto de Primavera, foram espaçados em 20 anos. De seus 62 cinemas destaque para O passado e o Presente, O convento, Party, A divina comédia, As singularidades de uma loira e seu último trabalho, o curta Chafaris das virtudes. Há ainda diversos trabalhos em filmes coletivos.Renata de Almeida, Manoel de Oliveira e Leon Cakoff Mostra de cinema de São Paulo Portugal Brasil

Sempre com a câmera fixa, Manoel filmou muitas cenas memoráveis ligadas entre elas com símbolos que muitas vezes rompem teatralmente a quarta parede da ficção. Com um carinho enorme pelo Brasil ele visitou o país várias vezes principalmente para participar da Mostra de Cinema de São Paulo do idealizador Leon Cakoff e sua esposa Renata Almeida, que pode ser vistos na imagem acima junto com Manoel (ao centro).

Esta nova condição cardiovascular de Manoel coloca ele numa redoma incomunicável de forma direta com sua pessoa e infelizmente é irreversível. Porém como todo artista continuamos sentido sua força a partir do que ainda comunica conosco, sua arte que traz novas potências nos espectadores de todo o mundo que entram em contato com seu cinema.

Afinal, entramos nos sonhos de natureza, nas sobras das oliveiras, nos portos, festas, e tecemos sempre nossa divina comédia humana que nosso olho muitas vezes não percebe, mas que continua e vai continuar lá, assim como o velho Manel…

manoel color

MAM-SP traz a periferia pro centro

Mostra Genesis do fotógrafo Sebastião Salgado acontece em BH

genesis fotografia sebastiao salgado fotografo exposiçãoUm dos fotógrafos mais importantes no mundo atualmente, o brasileiro Sebastião Salgado, é conhecido por sua capacidade exímia de congelar o instante que sempre se move frente aos nossos olhos.

Capacidade que aparece mais uma vez nesta mostra fotográfica de sua última publicação em livro, Gênesis, que mostra a vida nos mais diversos lugares do globo que ainda não sofreram a perversa ocupação do gênero humano (como eu e você) que tanto distroe, mas que mesmo sendo intocado sente esta destruição que ocorre em outras urbes.

Daí a beleza das 245 fotografias presente na exposição homônima que ocorre com entrada gratuita no na Grande Galeria Alberto da Veiga Guignard e Espaço Mari´Stella Tristão, do Palácio das Artes em Belo Horizonte. A exposição que vem rodando o mundo pode em breve aparecer por aí perto de vocês. Enquanto isto vão só degustando quieto as ref(oto)lexões de Sebastião Salgado.

Jean Shin traz a nova onda do Expresso Vinílico

SoundWave-MAD_1O artista Jean Shin cria uma onda vinílica e faz os bons ventos soprarem para este que é o novo blog que inaugurará nesta quinta sua coluna bolachante: Expresso Vinílico.

A obra de arte traz uma série de discos derretidos que se envolvem em uma onda que assim como a onda sonora envolve o ser humano em outras vibrações.

Soundwave_4 SoundWave-MAD_3Esta escultura assim como a coluna Expresso Vinílico mostra que os bons e sempre novos oleógenos da pedra preta são uma produção afetiva inesgotante que é arte e se transforma em arte. Assim como um disco antigo que traz em si a arte que liberta ao ser roçado em seus umbilicais pela agulha que faz o novo respirar.

Assim maquinartiremos neste expresso que mais do que conectar a qualquer passado produz o presente e evidencia o vazio da indústria musical (esta sim vetusta em seus tristes signos). Então embarque no Expresso vinílico que vamos seguir nesta sempre nova onda

Soundwave_2